Brasil: a bola da vez…

Profº Luiz Marins

Com a crise internacional que atinge principalmente a Europa, as empresas multinacionais que estavam presentes no Brasil de forma tímida – e satisfeitas com uma pequena participação do Brasil nos seus resultados globais -, passam agora a exigir de suas filiais locais um crescimento de participação jamais atingido. A realidade é que o Brasil, juntamente com China, Índia, Indonésia e Turquia, é visto agora como um dos mercados que terá a missão de salvar os resultados globais dessas empresas.

Tenho visto dirigentes de multinacionais com os nervos à flor da pele frente às exigências de suas matrizes. Muitas empresas terão que dobrar ou triplicar sua participação de mercado, sem perder rentabilidade, nos próximos dois ou três anos. Essa é a expectativa colocada sobre os ombros desses executivos. Para isso estão sendo alocados milhões de dólares em marketing e desenvolvimento de novos mercados no Brasil.

Assim, é preciso compreender que a competição aumentará muito nos próximos anos. Teremos um grande movimento de fusões e aquisições e de mudança dos quadros diretivos das organizações. As empresas brasileiras precisam estar atentas a esses movimentos para que sobrevivam e até aproveitem este momento único de nosso mercado em seu benefício.

É preciso lembrar que quando os investimentos em marketing aumentam, o mercado todo se beneficia e não só aquelas empresas que investiram, mas também suas concorrentes. Portanto, mesmo que as empresas brasileiras não tenham as “gordas verbas” das grandes empresas transnacionais, poderão tirar proveito deste momento. É preciso estar atento e agir!
Pense nisso. Sucesso!

Anthropos – Antropologia Empresarial
anthropos.com.br

 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma resposta