luiz_marins_15_06

Há anos fiz um programa de televisão e publiquei um DVD chamado “A LEI DOS 10 ANOS”. Nele relato as pesquisas de antropologia corporativa que venho desenvolvendo e que demonstram que demora muito tempo para que uma empresa seja realmente reconhecida pelo mercado e tenha seu sucesso consolidado. Esse tempo, geralmente, é de dez anos. Eu dizia mesmo que esse tempo de dez anos é quase uma Lei. Daí o título do programa e do DVD – “A Lei dos dez anos”. E o mais importante é que as evidências ainda mostram que é preciso que durante esse tempo a empresa se mantenha no foco e não se desvie  dele. Assim, ao abrir uma empresa, o empreendedor deve estar preparado para suportar esse tempo e não adianta querer acelerá-lo, pois dificilmente terá sucesso.  É claro que há exceções à regra, mas são raras exceções.

Pergunte a qualquer lojista, profissional liberal, médico, dentista, advogado, escritório de contabilidade, etc. e verá que o real sucesso e o reconhecimento do mercado ocorreu depois de passados longos dez anos ou por volta disso. Até então, o sucesso era apenas um desejo.

Conheço empreendedores que sem entender essa verdadeira “lei” começam um negócio qualquer e esperam ter sucesso nos três primeiros anos. Como não conseguem, mudam de endereço, de ramo, na tentativa de acelerar o sucesso. Pura ilusão! Quanto mais mudam, mais difícil fica o reconhecimento do mercado e mais distante o desejado êxito. Empreender exige tempo, foco e qualidade. É preciso dar tempo para que as pessoas decidam mudar seus atuais fornecedores. É preciso dar tempo para que as pessoas mudem seus hábitos de consumo. Sucesso exige tempo!

Faça uma análise e veja que as empresas famosas que você conhece hoje começaram a operar há mais de dez anos. Pense nos profissionais de sucesso que conhece e terá a mesma resposta. Assim, se você tiver qualidade, cuidar com cuidado de todos os aspectos de gestão, foco e paciência, com certeza um dia terá sucesso, mas demorará por volta de dez anos.

Pense nisso. Sucesso!

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma resposta